Ser mãe cansa!

Hoje li um texto extraordinário que, de um jeito muito sincero, relatou sobre como é cansativo ser mãe. O tom não era de uma mãe insatisfeita, não era de arrependimento e nem de uma pessoa reclamona. As doces palavras só relataram tudo que uma pessoa comum vive quando faz uma escolha importante na vida.

Vou contar a mesma história de ponto de vista diferente: Você acabou de se formar e decidiu que quer ser o melhor no que faz e vai se dedicar dia e noite para alcançar o sucesso profissional. Você vai trabalhar até mais tarde na empresa, vai propor melhoria no seu setor, vai estudar em casa diversos artigos relacionado ao problema que está vivendo na empresa, vai fazer cursos para melhorar o seu currículo, vai aprender idiomas, planejar sua rotina para não chegar atrasado, fazer alguns programas com os colegas para criar bons relacionamentos, vai abrir mão de outros relacionamentos (pois o tempo é curto de mais) enfim, sua vida gira em função de um único objetivo, secesso profissional! Depois de alguns anos lá está você, bem sucedido, fazendo viagens (talvez curtas, mas bem bacanas), consegue comprar a sua casa e tem um bom carro. Essa pessoa passou por muitos momentos ruins, na verdade os momentos ruins foram a maioria, mas isso é normal, não existe conquistas sem sacrifícios. Noites mal dormidas, dias estressantes, teve que engolir sapos e mais sapos, eventos não muito agradáveis, familiares te julgando, pessoas querendo seu pescoço…acredite, a maternidade exige o mesmo de uma pessoa muito dedicada e esforçada em prol de um objetivo e esse caminho não é um caminho de flores.

Ser mãe ainda é uma escolha, uma escolha muito séria e nós mães escolhemos criar pessoas, aducar seres. Não queremos apenas deixar um mundo melhor, queremos deixar pessoas melhores nesse mundo. 

85% da minha vida me dedico a super valorizar os bons momentos e ser grata pelas grandes e pequenas conquistas, mas se me permitirem utilizar meus 15% do meu lado down aqui, gostaria de relatar a minha dor: as pessoas podem achar que levo a maternidade muito ao vento, que as coisas fluem sem muito esforço, que a maternidade pra mim é mais fácil, não, não é: tem mais de um ano que não durmo mais do que 3 horas sem interrupção, tem mais de um ano que acordo cansada, tem mais de um ano que minhas energias são canalizadas para um único ser e mais de um ano que eu sou meu segundo plano (E tem muito mais), não gosto muito de falar sobre os momentos ruins da maternidade, acho isso muito íntimo e muito chato de ouvir, mas esse texto que li hoje me encorajou a dizer que sou um ser comum que fez uma escolha, está se dedicando ao máximo e passar pelos momentos ruins fazem parte do show. (Acho que na maternidade temos menos controle da situação) Mães que criam filhos para o mundo sabem que são apenas alguns anos, depois eles vão caminhar com as próprias pernas e todo o esforço em dar a melhor educação, o melhor exemplo, o melhor do seu tempo e a melhor energia valerão a pena, pois sem dúvida eles estarão prontos para fazer a melhor escolha! E aí, você vai olhar pra trás e ver que o sofrimento passou, que valeu a pena as noites mal dormidas e nem vai se lembrar de como deu conta de tudo. Todo sacrifícios em benefício de um ser (não digo só de filhos, mas de pais, amigos, avós, até um desconhecido) não é em vão. 

E para finalizar, é preciso valorizar a pessoa que cuida da mãe. Todo meu controle emocional vem de quem cuida de mim e o efeito cascata reflete na harmonia que vivemos dentro de casa. Não é fácil carregar a responsabilidade de sustentar uma família, dar suporte emocional para a mãe, ouvir ela chorar porque o filho está chorando e não poder fazer muita coisa, de chegar cansado e ter que ouvir sobre o mesmo assunto todos os dias (infelizmente a mãe nos primeiros meses vive dentro de uma bolha chamado fralda, mamá e “morrendo de sono”), perder algumas noites, atrasar a alguns compromissos enfim, os cuidadores das mães também passam por anos não muito fáceis. Então vai aqui minha eterna gratidão ao meu parceiro de vida.

Ser mãe cansa, mas toda e qualquer dificuldade é esquecida quando recebemos um simples sorriso ou um toque de carícia. 

Dia das crianças

Primeiro dia das crianças de verdade! Hahaha Não tinha ideia da importância dessa data. É a primeira vez que a Lara se diverte em uma data comemorativa, e eu fiquei morta, com o corpo todo dolorido de tanto ir atrás dela e levá-la onde queria. Foi o máximo, hoje o dia das crianças tem um novo significado. Ela não ganhou brinquedo, nem guloseimas, ganhou muito amor, abraço, brincadeiras e um dia bem agitado! Mesmo chegando mortinha em casa, é um cansaço com boas energias. 

Onde foi isso:

No condomínio onde vamos morar teve esse evento fechado, pude chamar apenas uma pessoa, como a Sophia é a prima mais próxima não tive dúvidas. Elas se divertiram muito….no final as duas mergulharam no sono.rs

Na volta estávamos todos cansados

A Lara mastigou todo o bombom pra mamãe. Hahaha

Lara e Sophia

Exercendo a prática do compartilhamento 🙂

Brinquedo que a Lara mais gosta

Brinquedo que a Sophia mais gosta

Sophia se aproveitando da bondade alheia.

Como foi o dia das crianças de vcs?

Bjs

Quando e como escolher a escolinha.

Ooi mamães, quinta passada foi um dia muito especial aqui em casa, foi o primeiro dia de escolinha da Lara (*.*) Por onde começar a contar? Vamos começar pelos preconceitos.

Sim, eu tinha! Achava um absurdo colocar uma criança que não fala para conviver com tantas outras crianças “perigosas”.rs Pensava assim desde que a Lara nasceu. Se eu precisasse voltar a trabalhar claro que eu colocaria em Berçário, mas com toda a certeza do mundo, sofreria imensamente, como muitas mães sofrem.

Quando?

Tudo começou quando fui passar uma semana no Sítio dos meus avós, e lá tem muitas crianças. A medida que a Lara tinha contato com a galera fui observando a alegria que era pra ela estar junto com outras crianças. Chorava quando era hora de partir. Comecei a reparar nas nossas brincadeiras em casa, por mais que eu tentasse variar e expor ela a atividades diferentes, não tinha outras crianças, era sempre eu falando com ela e o nosso apartamento é muito pequeno. Então decidi que era hora de animar as tardes da Lara 😀

Tomada de decisão

Voltei e já conversei com o meu esposo e ele me apoiou na decisão. Então começou a parte delicada, onde colocar? Eu não sabia nem o que perguntar nas escolinhas além do valor da mensalidade. Visitei uma, duas, cinco, sete berçários e pronto! Decidi por uma, e não fiquei em dúvida. Primeiro vai aí as minhas dicas e depois conto como foi a minha escolha.

Primeiro passo é estar muito segura da decisão e confiar no seu bebê. Assim você consegue passar a segurança necessária para o seu filho.

Segundo passo é estar decidida, pois pitacos alheio virão e normalmente são bem negativas com histórias mirabolantes e trágicas. Seja forte!

Pessoas

As pessoas que estão trabalhando devem ser agradáveis e educadas, elas são os exemplos para as crianças que estão ali. Já as crianças não tem como, algumas vão estar chorando ou pedindo colo.rs Observe como esses momentos são resolvidos pelas tias da sala e se a maioria da galera está tranquila. (não deixe de observar o número de crianças em sala, o ideal é ter 8 crianças por sala para duas cuidadoras no caso do berçário). A alimentação deve ter a orientação de um nutricionista, então pergunte se o cardápio é montado por um profissional.

Espaço

O ambiente físico deve ter cara de escolinha com um quê de aconchego de casa. O ideal é que tudo esteja adaptado, os banheiros com sanitários de criança, local para dar banho seja seguro, organizado, limpo e adaptado também (chuveirinhos e banquinhos para crianças maiores e banheiras amplas para as menores). Não é obrigatório ter berços, tendo colchões no chão já cumpre a função, e eu prefiro os colchões. Obrigatório ter lactário para o preparo dos leites e a esterilização. Cozinhas organizada e limpas.

Brincadeiras

Olhe pelas paredes se tem atividades da garotada grudado, se no berçário tem cartazes com texturas variadas para as crianças, se tem figuras para serem contadas histórias, essas coisas. Observe se os brinquedos estão em bom estado, se as brincadeiras são adequadas para cada idade e repare nas posições das câmeras se a escolinha tiver, o ideal é que as brincadeiras aconteçam onde elas alcançam.

Luz

A Iluminação das salinhas devem ser predominantemente natural, assim as cores serão mais vivas e fiéis, janelas abertas para circulação do ar (essa parte é super importante pois previne contaminação pelo ar). É preciso que a escolinha tenha pátio coberto e descoberto para o banho de sol da criançada.

A conversa

Não se esqueça de conversar com seu filho(a) antes e na hora de deixar na escolinha, parece bobagem, mas não é! Explique que você vai levá-lo, que ele ou ela vai brincar com os coleguinhas e aprender muito e que no final do dia você volta e irão todos juntos para casa, não se esqueça de dizer “eu te amo” e criar uma rotina de separação (aqui em casa é a bença).

O que me conquistou

De todas as escolinhas que visitei aqui em Cuiabá a que me fez decidir teve 3 pontos positivos e 1 negativo. Negativo é que o espaço de pátio é pequeno e não tem árvores. Pontos positivos: Pessoas agradáveis e muito educadas, ótima estrutura física e janelas sempre abertas mesmo com o ar condicionado ligado.

Espero que ajudem as mamães que procuraram por esse assunto.

Bjss

Temperinhos para as comidinhas dos bebês

Oi mães de plantão, vamos falar de temperos? Qual é a idade dos seus bebês? Eu comecei a pesquisar sobre comidinhas quando a Lara tinha 4 meses, como não era muito íntima da cozinha e usava muitos temperos industrializados tive que pesquisar e testar até encontrar sabores que me agradavam. Toda essa descoberta fez eu me interessar pela cozinha e também pelos temperos frescos, como uma coisa leva a outra hoje tenho até uma hortinha em casa.

Tem um vídeo que contei sobre esses temperos que descobri confere aí 🙂

 

Uma semana no Sítio da Vovó

Uma semana antes do aniversário da Lara, eu e ela nos divertimos no sítio. A Lara está experimentando frutas, descobrindo textura, conhecendo pessoas e animais. Foi uma semana de muita evolução.

Para a criança é excelente essas experiências fora da rotina, estimula muito o aprendizado e aumenta a quantidade de palavras que ela escuta por dia e a convivência com outras pessoas é enriquecedora.

 Pela primeira vez ela viajou de avião, foi surpreendente. Estava preparada para tudo, choros, dores no ouvido, agitação , mas ela estava tranquila. Mamou quietinha na decolagem e no pouso, brincou com a senhora do lado e comeu biscoitinhos de polvilho. Foi um vôo rápido de uma hora. Na volta é  que foi difícil. Ela se sentiu em casa na segunda vez, aí queria brincar no chão, pegar todas as revistas e falava alto, ria para chamar a atenção dos outros. Hahaha A dificuldade é só  para controlar essa euforia toda, de resto eu acho até  engraçado e divertido. As pessoas normalmente são  bem queridas com crianças e brincam com elas.

Ela voltou dessas férias no Sítio uma criança mais ativa e ligeira, entendeu que é possível ir para qualquer lugar quando se dá um abraço e que passear no Sítio é mais legal que passear na cidade. Aprendeu o que é rede e balancinho. Conseguiu dar um abraço no cachorro (pq aqui o Balzac não deixa), descobriu que odeia areia e que Vó é a melhor coisa do mundo.

Começou ganhando a primeira festinha de aniversário lá. E sem saber ganhou outra de tios que não sabiam que ela ia embora no dia do seu aniversário, mas eles comemoraram mesmo assim e nos mandou uma foto!!! Hahaha foi uma semana incrível que iremos repetir sempre.

1-01

1-02

1-07

1-06

1-05

DSC_0621

1-03

1-03

1-08

1-09

1-10

1

1-12

1-14

1-13

Continue lendo

1º aniversário da Lara

Você é o tipo de pessoa que pensa no sentido de uma festa de aniversário? Será que a Lara iria aproveitar? Não somos um casal festeiro, gostamos de receber poucas pessoas para poder conversar com elas. Quando o assunto surgiu a 4 meses atrás pensamos bastante, fizemos as contas e resolvemos que a Lara não teria festão de aniversário, mas teria um bolinho para comemorar com os familiares. Mas, uma semana antes decidi ir para o sítio da minha mãe e levar a Lara para curtir a avó e os Bisavós, então não daria para organizar nem uma festinha.

Motivos: A rotina do sono dela começa cedo e as 20h ela já está dormindo. Uma festa não custaria menos de 2 mil reais e temos uma viagem importante em novembro, então precisamos economizar. Odeio organizar festas (preciso mudar isso)

Voltamos do sítio no dia do aniversário da Lara. Metade do dia com a família que está no interior e a outra metade aqui em Cuiabá com todo o resto da família, e isso foi incrível! No lugar de festa nenhuma ela ganhou, pasmem, 6 mini festinhas! hahaha* Vou contar essa história aos poucos durante a semana ok?

 

Beijooss

Julho – 11 meses

A impressão de hoje é “Essa manha é dente ou eu estou mimando demais ela?”

A Lara já está com 6 dentes e parece que está apontando mais 4 (pode ser drama minha). Como os choros vem acompanhado de lágrimas, mesmo sendo aquele choro que a gente sabe que é manhã, não penso duas vezes, pego no colo e dou toda a atenção e carinho que ela pede. Mas isso tem custado algumas noites sem dormir na minha cama, fico a maior parte do tempo no quarto dela e derrepente já é 5:30 da manhã. Acho que isso vai passar daqui umas duas semanas. Enquanto isso, vamos repetir o mantra né “Vai passar, vai passar”

Tem um lado bom disso, acordo com ela conversando no meu ouvido (não entendo nada ainda, e ela acorda super bem humorada).

Escolha feliz

Nossa, nem acredito! Criamos um blog para falar de maternidade e agora eu nem sei por onde começar! hahá

Bom, acho que tudo começou com o nascimento da Lara. Uma gravidez e um parto tranquilo me fez acreditar que a maternidade não era só cansaço, dores e tristezas. Consegui, então, transformar tudo numa grande diversão. Comecei a postar muitas fotos da Lara no meu instagram, diariamente publicando as coisas mais legais de ser mãe. Vestidos, banhos, risadas, comidas e muitas, muitas caretas.

No meio dessa brincadeira toda tive contato com muitas mães, ouvi suas histórias e suas dificuldades, descobri que elas passavam pelo que eu já havia passado, então resolvi que queria falar sobre a maternidade.

Esse mês a Lara faz 1 ano 🙂