Ser mãe cansa!

Hoje li um texto extraordinário que, de um jeito muito sincero, relatou sobre como é cansativo ser mãe. O tom não era de uma mãe insatisfeita, não era de arrependimento e nem de uma pessoa reclamona. As doces palavras só relataram tudo que uma pessoa comum vive quando faz uma escolha importante na vida.

Vou contar a mesma história de ponto de vista diferente: Você acabou de se formar e decidiu que quer ser o melhor no que faz e vai se dedicar dia e noite para alcançar o sucesso profissional. Você vai trabalhar até mais tarde na empresa, vai propor melhoria no seu setor, vai estudar em casa diversos artigos relacionado ao problema que está vivendo na empresa, vai fazer cursos para melhorar o seu currículo, vai aprender idiomas, planejar sua rotina para não chegar atrasado, fazer alguns programas com os colegas para criar bons relacionamentos, vai abrir mão de outros relacionamentos (pois o tempo é curto de mais) enfim, sua vida gira em função de um único objetivo, secesso profissional! Depois de alguns anos lá está você, bem sucedido, fazendo viagens (talvez curtas, mas bem bacanas), consegue comprar a sua casa e tem um bom carro. Essa pessoa passou por muitos momentos ruins, na verdade os momentos ruins foram a maioria, mas isso é normal, não existe conquistas sem sacrifícios. Noites mal dormidas, dias estressantes, teve que engolir sapos e mais sapos, eventos não muito agradáveis, familiares te julgando, pessoas querendo seu pescoço…acredite, a maternidade exige o mesmo de uma pessoa muito dedicada e esforçada em prol de um objetivo e esse caminho não é um caminho de flores.

Ser mãe ainda é uma escolha, uma escolha muito séria e nós mães escolhemos criar pessoas, aducar seres. Não queremos apenas deixar um mundo melhor, queremos deixar pessoas melhores nesse mundo. 

85% da minha vida me dedico a super valorizar os bons momentos e ser grata pelas grandes e pequenas conquistas, mas se me permitirem utilizar meus 15% do meu lado down aqui, gostaria de relatar a minha dor: as pessoas podem achar que levo a maternidade muito ao vento, que as coisas fluem sem muito esforço, que a maternidade pra mim é mais fácil, não, não é: tem mais de um ano que não durmo mais do que 3 horas sem interrupção, tem mais de um ano que acordo cansada, tem mais de um ano que minhas energias são canalizadas para um único ser e mais de um ano que eu sou meu segundo plano (E tem muito mais), não gosto muito de falar sobre os momentos ruins da maternidade, acho isso muito íntimo e muito chato de ouvir, mas esse texto que li hoje me encorajou a dizer que sou um ser comum que fez uma escolha, está se dedicando ao máximo e passar pelos momentos ruins fazem parte do show. (Acho que na maternidade temos menos controle da situação) Mães que criam filhos para o mundo sabem que são apenas alguns anos, depois eles vão caminhar com as próprias pernas e todo o esforço em dar a melhor educação, o melhor exemplo, o melhor do seu tempo e a melhor energia valerão a pena, pois sem dúvida eles estarão prontos para fazer a melhor escolha! E aí, você vai olhar pra trás e ver que o sofrimento passou, que valeu a pena as noites mal dormidas e nem vai se lembrar de como deu conta de tudo. Todo sacrifícios em benefício de um ser (não digo só de filhos, mas de pais, amigos, avós, até um desconhecido) não é em vão. 

E para finalizar, é preciso valorizar a pessoa que cuida da mãe. Todo meu controle emocional vem de quem cuida de mim e o efeito cascata reflete na harmonia que vivemos dentro de casa. Não é fácil carregar a responsabilidade de sustentar uma família, dar suporte emocional para a mãe, ouvir ela chorar porque o filho está chorando e não poder fazer muita coisa, de chegar cansado e ter que ouvir sobre o mesmo assunto todos os dias (infelizmente a mãe nos primeiros meses vive dentro de uma bolha chamado fralda, mamá e “morrendo de sono”), perder algumas noites, atrasar a alguns compromissos enfim, os cuidadores das mães também passam por anos não muito fáceis. Então vai aqui minha eterna gratidão ao meu parceiro de vida.

Ser mãe cansa, mas toda e qualquer dificuldade é esquecida quando recebemos um simples sorriso ou um toque de carícia.